• Ligamos
    pra você
  • Fale com
    o corretor
  • Busca por
    filtros

    Selecione os campos para filtrar sua busca

Novidades

Notícias - 11/05/2018

Aparecida de Goiânia atraiu mais de 12 mil empresas em 10 anos

Aparecida de Goiânia, que completa 96 anos hoje, está se especializando em atrair empresas. Nos últimos 10 anos, entre abril de 2008 e abril de 2018, 12.368 empresas foram abertas no município, o segundo melhor desempenho do Estado, atrás apenas da capital. Novos negócios de vários segmentos foram atraídos por uma localização geográfica privilegiada, no centro do Estado e colada com a capital, investimentos em infraestrutura, com a construção de vários polos empresariais e oferta de áreas, além de facilidades de escoamento da produção.

Isso fez com que Aparecida deixasse de ser uma cidade dormitório e se transformasse em uma grande geradora de empregos. Somente no ano passado, 5.659 novos postos de trabalho foram gerados no município, de acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego, o segundo melhor desempenho de todo o País, atrás apenas de Joinville, em Santa Catarina, onde foram abertas 4.342 vagas em 2017.


Hoje, Aparecida abriga seis polos empresariais (Distrito Industrial de Aparecida de Goiânia, Polo empresarial Goiás, Distrito Agroindustrial de Aparecida de Goiânia, Polo Industrial Vice-presidente José Alencar, Cidade Empresarial e Polo Tecnológico) e, este ano, lançou o Complexo Empresarial Metropolitano (CEM), que abrigará 400 lotes industriais. A cidade também já conta com sete instituições de ensino superior e, em breve, deve abrigar a oitava.

Só em 2017 e no primeiro quadrimestre deste ano, 1.527 novas empresas foram registradas no município. O prefeito Gustavo Mendanha lembra que a cidade começou a se desenvolver com a construção dos polos empresariais e a realização de investimentos em infraestrutura, como mobilidade urbana. “Os empreendedores perceberam que seus colaboradores teriam mais qualidade de vida aqui”, destaca. Atualmente, a Prefeitura investe até 16% do orçamento em infraestrutura.

Segundo o prefeito, a administração municipal se preocupou em oferecer as condições ideais para atração de empresas, como a oferta de áreas e impostos mais baratos que na capital. Também foram feitas parcerias com o Sistema S e instituições de ensino superior para qualificar a mão de obra local. “Com isso, a geração de empregos explodiu na cidade.”

Em 10 anos, o PIB de Aparecida foi multiplicado por 5: passou de R$ 2,2 bilhões em 2005 para R$ 11,5 bilhões em 2015. A expectativa é atingir R$ 13 bilhões este ano. Para o presidente da Associação Comercial e Industrial de Aparecida (Aciag), José Luiz Celestino, além da posição geográfica e os polos empresariais, a credibilidade do município também ajuda a atrair empresas. “Existe confiança para o empresário investir”, afirma. A localização geográfica atraiu grandes empresas de logística de atuação nacional para os polos de Aparecida de Goiânia.

Agora, o desenvolvimento se volta para a região leste da cidade, onde estão programados vários investimentos, como o futuro Aparecida Business Log (ABL), que abrigará o Complexo Logístico Aduaneiro (Clia). Uma demanda atual do setor empresarial, segundo José Luiz Celestino, é a retirada do Complexo Prisional da região.

Para o presidente da Aciag, o município está cada vez mais conhecido a nível nacional pelo que tem a oferecer ao empresariado. Com o crescimento da demanda por áreas no município, já faltam terrenos para atender tanta procura. “A Prefeitura já está tendo que retomar áreas de empresas que não estão oferecendo um bom retorno ao município para atender todos”, diz.

Preço do metro quadrado valoriza 40% em oito anos

Os investimentos em infraestrutura urbana e o crescimento na atração de empresas e na geração de empregos fizeram com que o preço médio do metro quadrado em Aparecida de Goiânia tivesse uma valorização de cerca de 40% em oito anos, passando de R$ 1.826,68, em janeiro de 2010 para R$ 3.076,18, em janeiro deste ano, segundo dados do Conselho Regional de Corretores de Imóveis. Nos últimos anos, o município recebeu vários lançamentos do mercado imobiliário, entre empreendimentos verticais e condomínios fechados de todos os padrões.

No ano passado, o município ganhou seu primeiro prédio corporativo, o E-Business Rio Verde. O coordenador comercial da Elmo Engenharia e Incorporações, Sócrates Diniz, explica que a empresa tem a filosofia de empreender em regiões que estejam em expansão, como é o caso de Aparecida de Goiânia. Segundo ele, a Elmo investiu no primeiro empreendimento comercial de alto padrão da cidade para atender a demanda das empresas que estavam migrando para Aparecida, que oferece vantagens tributárias. Ele afirma que a cidade não dependendo mais financeiramente da capital, o que a torna atrativa para novos empreendimentos como o E-Business.


José Humberto de Carvalho, diretor comercial da URBS RT, ressalta o avanço na qualidade da infraestrutura viária e de serviços de Aparecida, que deixou de ser uma cidade dormitório, para se tornar uma cidade onde tudo acontece. Hoje, o município oferece tudo que sua população precisa, como escolas, hospitais e shoppings. “Tudo isso ajudou a melhorar o nível dos empreendimentos construídos no município”, destaca.

Depois da valorização na região próxima ao Buriti Shopping, José Humberto prevê que a chegada do Aparecida Shopping, na região central, também deve atrair mais investimentos imobiliários, devido a boa expectativa de valorização local. A região do Setor Garavelo também deve continuar se valorizando por conta do comércio pujante naquela região.



Com informações Jornal O Popular

Compartilhe

Outras novidades

Ver todas
Ver todas